Os exercícios físicos demandam um aporte nutricional específico de nutrientes para que a haja a perda de gordura e não, de massa muscular, e também para que se possa melhorar o rendimento.

ALIMENTAÇÃO E TREINOS

        No momento que antecede o treino é imprescindível que haja fontes de carboidrato na alimentação em uma pequena quantidade (cerca de 30g). Isso equivale, por exemplo, a uma porção de fruta com cereal, que pode ser barra de cereal, biscoito não recheado, aveia ou quinua em flocos. Podem ser utilizados também os sucos que misturam os vegetais e frutas (ex: cenoura com laranja, couve com maçã), não só pelos carboidratos, mas por serem fontes de antioxidantes. No caso específico do suco de beterraba ou espinafre, há o aumento da vascularização e aporte de oxigênio (e consequente melhora do rendimento) devido aos nitratos presentes nestes alimentos. Lembre-se também que neste momento não é indicado ingerir alimentos fontes de gorduras.

         Durante o treino, tem-se que avaliar a necessidade do uso de carboidrato ou de isotônicos dependendo da duração e intensidade do treino. No caso de corridas, para treinos longos (acima de 70 min.) é importante que haja um aporte e eletrólitos, por isso pode-se usar 250 ml de isotônico alternando-se com 250 ml de água a cada 1 hora. Quanto ao uso de carboidratos em treinos longos, pode-se (a partir dos primeiros 15 minutos de corrida) utilizar gel, goma, rapadura ou mel (dependendo da tolerância e preferência da pessoa) de 30 em 30 minutos.
funny-food-art-28
         No momento posterior ao treino, o corpo precisa de carboidratos para repor o glicogênio muscular e de proteínas para a recuperação muscular e para evitar a perda de massa magra. E, para a surpresa de muitos, a quantidade de carboidrato deverá ser maior do que a de proteína, na proporção de 3g ou 4g de carboidrato para cada grama de proteína. Isso equivale a um lanche mais elaborado (Por exemplo: pão com frango desfiado e um suco, ou mesmo um a
lmoço/jantar).
        Para cada pessoa, é preciso observar a alimentação durante todo o dia para que se possa maximar o rendimento, isso porque não é só a alimentação nos momentos que se aproximam do treino que irá influenciar a perfomance, e sim todo o conjunto de hábitos alimentares.
Há muitos suplementos que podem ser utilizados com as mais diversas finalidades e que, se bem adequados, não causam prejuízos à saúde, apenas benefícios e maximização dos resultados desejados. Vale ressaltar também que cada pessoa possui sua individualidade bioquímica e  necessidades nutricionais diferentes! Para cada modalidade esportiva, também há distintas estratégias. É preciso atentar-se a possíveis deficiências de nutrientes, ao detalhamento da rotina e à avaliação nutricional completa para que se possa fornecer a melhor alimentação que se adeque à pessoa e a sua prática esportiva escolhida.

 Autora: Isis Moreira – Nutricionista – CRN/1 7800 Site: www.isismoreira.com

FacebookTwitterGoogle+#Compartilhe